, Vol. 11, No 20 (2010)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

CAPACIDADE DE CONTRAÇÃO DO TECIDO FASCIAL: REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

Natália Folco Scodeler, Carla Spadaccia Bissotto, Arthur Bellenzani Neto, Sergio Jorge

Resumo


É crescente a atenção dada ao tecido conjuntivo fascial, por ser um importante meio de conexão estrutural do corpo humano, que interliga cada célula como uma rede conectiva tridimensional, iniciando no crânio e indo em direção aos pés. Porém, existem diversas questões a serem estudadas acerca de sua capacidade de realizar contração, o que tem sido especulado por alguns autores. Portanto, no presente trabalho, objetivou-se conhecer e aprofundar os estudos sobre o tecido fascial e sua importância relacionada aos aspectos contráteis de sua formação. Desta forma, foi realizada uma revisão bibliográfica não-sistemática, sendo analisados artigos científicos de periódicos indexados nas bases de dados Bireme, Medline, Lilacs, SciELO, PEDro, PubMed, além de livros, sites de conteúdo científico e trabalhos apresentados em congressos científicos, entre os anos de 1992 à fevereiro de 2009. Como resultado, verificou-se hipóteses em que a fáscia apresentaria contração ativa, devido à presença de células musculares lisas, podendo assim, interferir na biomecânica corporal, mas estudos posteriores desvendaram que esta contração não passaria de uma maior hidratação do tecido fascial. Ainda foram encontrados estudos que buscaram indução medicamentosa de contração, além da indução por eletroestimulação. Portanto, sugere-se a necessidade de estudos mais bem formulados, que permitam um embasamento científico adequado, tornando assim, evidente a existência ou não de atividade contrátil no tecido fascial, e sua devida ativação e interferência na biomecânica corporal.

Texto Completo: PDF