, Vol. 11, No 20 (2010)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

COMPARAÇÃO DE DIFERENTES FORMAS DE CARREGAR O BEBÊ: UMA ABORDAGEM BIOMECÂNICA

Analicia Rodrigues dos Santos Nunes, Fabiana Ávila Cavalcante, Rodrigo Flores Goulart, Felipe Ribeiro Cabral Fagundes, Eduardo Heidi Ozaki, César Ferreira Amorim, Renato José Soares

Resumo


Mulheres durante o puerpério estão freqüentemente susceptíveis a desconfortos na coluna vertebral, sendo vários os fatores que levam ao aparecimento deste quadro. A forma de carregar o bebê pode ser uma das causas de alterações álgicas. O presente trabalho teve como escopo investigar a atividade elétrica de músculos da coluna vertebral durante a marcha, na simulação de carregar o bebê. Foram selecionadas 15 voluntárias (24,2 ± 2,62 anos; 53,7± 7,63 kg; 1,63m ± 0,06m), as quais foram instruídas a realizar a marcha em velocidade auto-selecionada ao carregar o bebê em diferentes formas: 1) com o bebê na posição vertical; 2) com o bebê deitado no colo; 3) com o bebê no suporte tipo “canguru”. Foram avaliadas as características eletromiográficas, durante a passada, dos músculos Multífidos e Trapézio fibras superiores, bilateralmente. Os dados foram submetidos ao teste de Wilcoxon (p0,05). Os resultados demonstraram diferenças estatísticas no músculo trapézio superior no carregamento do bebê deitado e sentado, não existindo diferenças significativas no andar sem o bebê e no carregamento com o suporte tipo canguru. Destacam-se também diferenças estatísticas para o músculo multífidos do lado contralateral a perna de apoio durante o carregar o bebê deitado. Desta forma, conclui-se que o suporte tipo canguru gera menores desequilíbrios entre os músculos investigados.

Texto Completo: PDF