fau
ensino
pesquisa
cultura e extensão
 
eventos
concursos
defesas
home  contato  mapa do site  usp
 
   
I
I


graduação
design
aula magna
grade horária
comissão coordenadora do curso
professores do curso
grade curricular até o momento
premiações discentes
disciplinas
tcc
reconhecimento
links interessantes
certificado guia do estudante

fau mostra design 2010



 
Design


Proposta de Estrutura Curricular

Esta proposta foi desenvolvida por comissão assessora da Comissão de Graduação da FAU-USP integrada pelos seguintes docentes da FAUUSP: Prof. Dr. Agnaldo Farias (Departamento de História), Prof. Dr. Francisco Homem de Melo (Departamento de Projeto), Prof. Dr. Giorgio Giorgi Jr. (Departamento de Projeto), Prof. Dr. João Carlos de Oliveira César (Departamento de Tecnologia), Prof. Dr. Lúcio Gomes Machado (Departamento de História), Prof. Robinson Salata (Departamento de Projeto), Prof. Sylvio de Ulhôa Cintra Filho (Departamento de Projeto) e Profa. Dra. Vera Pallamin (Departamento de Tecnologia)

Sobre os fundamentos da proposta

A presente proposta para o Curso de Design está baseada na atual estrutura departamental e pedagógica da FAU, por considerar que essa herança constitui um patrimônio intelectual da escla, capaz de dar ao Curso de Design suas características particulares, distintas dos demais cursos existentes. Acredita-se, portanto, que é a experiência acumulada do Curso de Arquitetura da FAU, devidamente reproposta, que dará ao Curso de Design sua identidade e sua viabilidade.

A estrutura curricular proposta está baeada em um desenho simples e de fácil apreensão. Ela visa permitir que o estudante tenha contato e enfrente as principais questões do território do design e de suas interfaces mais próximas, sem pretender com isso esgota-las. As disciplinas deverão dar preferência aos aspectos estruturais de suas áreas de conhecimento, e fornecer meios para que o estudante venha a aprofundá-los futuramente, de acordo com seu percurso, interesses e afinidades pessoais.

Em resumo, a estrutura curricular proposta é enxuta e o curso tem um caráter panorâmico, buscando construir ao longo dos cinco anos um mapeamento consistente do território do design.

Sobre o perfil do formando

A presente proposta prevê a formação de um bacharel em design, sem habilitações específicas em Desenho Industrial ou Programação Visual, coerente portanto com o caráter panorâmico da estrutura curricular proposta. Acredita-se que, dessa forma, mantém-se a principal qualidade do formando do Curso de Arquitetura da FAU, qual seja, a perspectiva e a formação abrangentes.

Essa postura é coerente também com os esforços recentes da formação superior em geral, e da USP em particular, de buscar fornecer aos estudantes de graduação condições para uma formação ampla em seus campos de atuação, em oposição à formação de especialistas precoces, tendência que prevaleceu em muitas áreas durante largos períodos.

Sobre a estrutura curricular proposta

A estrutura curricular é composta por quatro seqüências, que constituem os eixos condutores do curso: História do Design, Projeto do Produto, Projeto Visual e Tecnologia do Design. A primeira corresponde ao Departamento de História, a segunda e a terceira ao Departamento de projeto, e a quarta ao Departamento de Tecnologia.

Em cada um dos três departamentos, há uma outra seqüência, composta por disciplinas complementares.

A ênfase do curso está voltada à prática projetual, entendida em seu sentido mais amplo, incorporando desde as dimensões teóricas e históricas até as questões tecnológicas colocadas pela produção. Para isso, deverá contar com o apoio e, eventualmente, coma participação permanente de docentes da História e da Tecnologia.

Sobre a distribuição da carga horária

Ao longo dos quatro primeiros anos, cada aluno cursa sete disciplinas por semestre, assim distribuídas:

- duas de História, com duas horas-aula cada uma, ocupando um dia da semana.

- três de Projeto, com quatro horas-aula cada uma, ocupando três dias da semana.

- duas de Tecnologia, com duas horas-aula cada uma, ocupando um dia da semana.

A distribuição da carga de horas-aula, portanto, é a seguinte:

- História: 20%

- Projeto: 60% (incorporando conteúdos de História e Tecnologia)

- Tecnologia: 20%

Toda a carga de horas-aula está concentrada no período noturno, enquanto a carga de horas-trabalho pode ser cumprida nos demais períodos. Isso permite aos estudantes uma maior flexibilidade de horário, uma vez que eles podem distribuir suas horas-trabalho no horário mais conveniente para cada um. Além disso, o estudante que quiser terá horário disponível para realizar trabalhos nos laboratórios e para cursar outras disciplinas optativas, na própria FAU, na POLI, na ECA, na FEA ou em qualquer das demais unidades da USP.

Sobre os docentes

As disciplinas das quatro seqüências de design devem ser preferencialmente ministradas por docentes diretamente envolvidos com design, seja em sua atuação acadêmica (área de pesquisa), seja em sua atuação profissional. Esses docentes contribuem para o Curso com o olhar interno ao campo do design.

As disciplinas das três seqüências complementares são o espaço de atuação dos docentes não necessariamente vinculados ao design. É desejável que eles estejam familiarizados com as questões relacionadas ao design, mas sua principal contribuição é enriquecer a formação do estudante com a reflexão oriunda de suas áreas específicas de conhecimento. Esses docentes contribuem para o Curso com o olhar externo ao campo do design.

Sobre as estratégias pedagógicas

O projeto é, por definição, um espaço inter, multi e transdisciplinar. Nesse aspecto, os cursos de arquitetura e de design têm o privilégio de não precisarem criar artifícios curriculares para estabelecer vínculos entre as disciplinas, uma vez que é da natureza da prática projetual esse aspecto tão perseguido pelas atuais diretrizes educacionais.

As disciplinas de projeto são o principal espaço em que ocorrem as contribuições das diversas áreas do conhecimento. Essas contribuições podem se dar de duas formas: por meio de participações pontuais de docentes de outras áreas, nos momentos mais adequados a essa troca de saberes, definidos pelo andamento dos projetos; ou pela participação permanente de um docente de outra área, orientando e discutindo o andamento dos projetos. É também por essa razão que essas disciplinas têm o dobro da carga de horas-aula: elas devem obrigatoriamente incluir as dimensões teóricas, históricas e tecnológicas mais diretamente relacionadas aos projetos em desenvolvimento.

As disciplinas das seqüências de história e tecnologia, por sua vez, devem abordar seus conteúdos a partir das especificidades que caracterizam seus campos do saber, garantindo desse modo suas respectivas autonomias disciplinares. É claro que isso não exclui nem a contribuição pontual de docentes de outras áreas, nem a contribuição de práticas de investigação de outras áreas (por exemplo: os docentes de história e de tecnologia podem incorporar procedimentos de projeto em suas estratégias pedagógicas; isso não significa que elas se tornem disciplinas de projeto; o mesmo raciocínio vale para os docentes de projeto em relação à história e à tecnologia).

Na distribuição das sete disciplinas de cada semestre, foram buscadas aproximações temáticas. Desse modo, criam-se condições para que ocorram trabalhos conjuntos entre disciplinas afins, sem, no entanto, obrigar que essas integrações entre disciplinas necessariamente aconteçam. O desenho da estrutura curricular, portanto, procura permitir que o curso tenha flexibilidade para se adaptar às peculiaridades de cada momento.

A diversidade de conteúdos tratados por disciplinas de um mesmo semestre não é um mal a ser combatido, mas, pelo contrário, pode abrir aos estudantes possibilidades de ampliação de seu leque cultural, conceitual e pragmático. Os trabalhos conjuntos entre disciplinas afins poderão ocorrer, e a distribuição dos assuntos ao longo do curso permite que essas aproximações efetivamente aconteçam. No entanto, a diversidade é também um fator positivo e um objetivo perseguido, e deve estar presente em cada semestre.


Quadro de disciplinas

O quadro a seguir apresenta de forma sintética a estrutura curricular proposta. Além da participação majoritária da FAU, o curso conta também com as colaborações da Escola Politécnica, da Escola de Comunicações e Artes e da Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo.

Quadro de Disciplinas
Grade Curricular até o Momento



 
Expediente

T 55 11 3091-4549
   55 11 3091-8234
e-mail: cdesign@usp.br

Profa. Dra. Priscila Lena Farias
Coordenadora da CoC-Design

Profa. Dra. Cristiane Aun Bertoldi

Vice-coordenadora da CoC-Design

Equipe
Thiago Wiek
e-mail: cdesign@usp.br
T 55 11 3091-4560
Horário: 16h às 22h
Secretário da CoC-Design
Departamento de Projeto

Sady Carlos de Souza Júnior
e-mail: tcc.fau@usp.br
T 55 11 3091-4544
Horário: 14h às 23h
TCC - Design
Trabalho de Conclusão de Curso

João Vitor Campos
e-mail: joaovitor@usp.br
T 55 11 3091-4555
Horário: 13h às 22h
Departamento de História

Fátima Vieira de Morais
e-mail: fatimorais@usp.br
T 55 11 3091-4540
Horário: 13h às 22h
Departamento de Tecnologia da Arquitetura